Prepare-se para o maior evento de tênis do Brasil

Prepare-se para o maior evento de tênis do Brasil

Depois de sediar o torneio classificatório para Roland Garros, o Rendez-Vous, em abril desse ano, que classificou dois brasileiros para a competição juvenil do Grand Slam francês, disputado nas quadras do PIC, na Pampulha, Minas Gerais sediara também o primeiro torneio de classes que classificará para o Roland-Garros Amateur Series by Peugeot, que será disputado em Paris. Os jogos acontecerão no Minas Tênis Clube, o primeiro clube brasileiro parceiro oficial de Roland Garros.

Um convênio entre a Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Federação Francesa de Tênis (FFT), Federação Mineira de Tênis (FMT) e Minas Tênis Clube (MTC), foi assinado no último final de semana, oficializando a disputa. A definição do clube como sede da disputa foi uma intermediação da FMT, junto à CBT e FFT. A entidade maior do tênis em Minas traz, assim, em apenas um ano, a disputa de duas competições internacionais para o Estado.

O torneio, que acontecerá no masculino e feminino, acontecerá no período de 4 a 7 de outubro, e classificará os campeões para a final, que acontecerá em dezembro, no Rio de Janeiro, reunindo os vencedores não só de Minas Gerais, mas também de torneios semelhantes que acontecerão em Brasília e Porto Alegre. Essa etapa reunirá os oito melhores das 22 categorias. Os campeões estarão classificados e terão todas as despesas de viagem, hospedagem e disputa pagas.

Será a primeira vez que um torneio de tênis amador que reunirá adolescentes e adultos na mesma competição. O Amateur Series é destinado a jogadores amadores, homens e mulheres, entre 13 e 80 anos, e contará com um sistema de pontos para o ranking nacional de classes. O objetivo é reunir jogadores de diferentes clubes, idades e níveis de jogo na mesma competição.

A iniciativa mereceu elogios do presidente da FFT, Bernard Giudicelli, que vê o projeto como um grande incentivo ao tênis e um fortalecimento ao esporte mineiro e brasileiro do nível amador ao profissional. “Esse projeto é uma raiz do tênis brasileiro no cotidiano. O tênis amador constitui a principal riqueza de uma federação, é uma forma de dar força da base até o alto nível. O que une o circuito é o sonho. O sonho de um dia ter uma criança de seu clube ou simplesmente o seu filho jogando em Roland Garros”.

Adicionar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *